Amados gatos - todo o mundo os ama - excepto quem tiver um coração insensível ou não os entenda. Eis a minha contribuição e apreço para essas maravilhosas criaturas de Deus. Bem hajam, queridos bichanos!

O melhor sistema para procurar e divulgar animais encontrados em Portugal inteiro.

Consulte a página - http://www.encontra-me.org/


Amados gatos:

Um saudoso ADEUS ao Floco de Neve e à Kika que enfeitaram a minha vida.

Em vossa memória e como última homenagem, este blog continuará a existir.
Receberá as mensagens dos donos magoados e as imagens dos que, como vocês, amados gatos, já partiram em busca do paraíso.

Procurem-nas na tag: 02-adeus, amados gatos

Por favor, contactem-me por

ou através dos comentários neste blog.

Obrigada!

07
Jan 07

gatoMerlin.jpgAbordei esse tema por vários motivos. Um deles é o meu inesgotável amor aos animais.
Os ditos domésticos sempre foram meus amigos desde cedo e desde sempre. Quando criança, sempre foram companheiros leais e constantes para o meu solitário mundo infantil.
Tive muitos gatos e hoje falo especialmente de um: Ravengar. Baptizei-o assim, pois estava no ar uma novela chamada “Que Rei Sou Eu?", na Rede Globo. Referia-se a um bruxo da Corte.

Mas o meu Ravengar era do BEM. Era todo preto e muito peludo, o que lhe dava um charme
especial. Recebeu todo o carinho e cuidados e retribuía com muitas demonstrações de afecto. Disseram-me que ele seria meu guardião das energias negativas. E foi assim que um dia ele tomou o primeiro impacto. Ficou estranho, cabisbaixo e
O dono do lugar já foi adiantando logo após examiná-lo: “Ele não tem muito tempo de vida”.
Entrei em desespero. Ravengar já estava comigo há mais de dois anos e eu não ia recuar.
Mas logo apareceu o outro veterinário e discretamente me perguntou: “Você acredita em magia? Esse gato segurou uma que vinha em sua direcção".
Lembrei, imediatamente, do que havia sido falado quanto a ele ser meu guardião.
Falei para o Zé Carlos segurar o Ravengar na clínica, pois eu voltaria logo. Fui, então, pra casa, me concentrei e limpei completamente a magia dele, à distância. Não podia fazer ali, na Veterinária, pois nada entenderiam.
Retornei e o Ravengar começou a melhorar.
Desde esse episódio ele nunca mais ficou doente.

Lembro de um fato engraçado durante a minha gravidez... meu filho se mexia muito e eu deitada na minha cama, barrigão de 8 meses pra cima, com Ravengar sentado ao lado da barriga; víamos meu filho fazendo uma bagunça lá dentro como se fosse uma provocação.
Ravengar ficava com os olhinhos matreiros e dava tapinhas carinhosos com sua patinha como se quisesse brincar com aquela bolinha rolando por debaixo da pele.

Assim como o Ravengar, vários animais de estimação fazem silenciosamente o seu trabalho de proteger-nos. Pra quem não sabe, eles nos ajudam a caminhar aqui na Terra.
Os cachorros, quando ficam perto do dono sem que este o chame, podem estar identificando doenças físicas que muitas vezes se desconhece. Os cachorros também ajudam na transmutação de emoções como tristeza, melancolia, etc.
Os gatos ajudam a transmutar as energias negativas do lugar, atraindo pra si essas influências.
Ravengar viveu até os 14 anos. Hoje guardo o seu retrato em minha casa como um grande amigo que certamente tive.
Dizem os mestres ascensionados que quando um amigo do reino animal se vai, em 3 meses ele poderá voltar a você em outro corpo para continuar te protegendo. Poderá ser um outro gato ou
mesmo um animal de uma outra espécie. Você o reconhecerá pelo olhar.
O meu amigo peludo se foi há 8 anos.

Há 10 anos tenho outro amigo chamado Gaspar.
Este é todo branco. Só falta falar. Todos os dias na mesma hora me acorda, tocando o meu braço com delicadeza, me espera na porta como se fosse um cachorro e se comporta como tal.
Eu o chamo e ele, de onde estiver, vem miando como se respondesse: "Estou aqui!”.
Quem tem bicho em casa sabe. São leais e amorosos.

Recentemente descobri que esses maravilhosos companheiros são levados para visitarem pessoas idosas nos asilos. Ajudam-nas a se exercitarem. É uma equipe de treinadores que
desenvolve esse trabalho com muito bons resultados. São óptimas companhias para pessoas que vivem sozinhas, em apartamentos, desenvolvendo nelas o amor constante.

Precisamos conscientizar as pessoas, principalmente as crianças, que ter um bicho de estimação é muito sério. Quem não trata bem os animais adquire um karma grave.
Já ouvi pessoas afirmarem que não gostam de bichos. Desconfio sempre de pessoas assim. Quem não gosta de bicho não gosta de gente, não gosta de nada.
Tem também aquelas que gostam momentaneamente. Vão a uma loja e acham uma gracinha o animal ali exposto e o levam pra casa sem ter nenhuma ideia de como proceder.
Na primeira dificuldade que surge, quando precisam viajar, despejam o animal no primeiro abrigo como se fosse uma roupa que não mais se quer usar.

Sou sócia da SUIPA - Sociedade União Internacional Protectora dos Animais - aqui no Rio de Janeiro que abriga, em sua sede, cerca de 9 mil cães abandonados, além de quase 700 felinos e de outras espécies que chegam, diariamente, trazidos por pessoas que os abandonam com várias desculpas:
mudança de endereço; animal idoso e com problemas de “odor”; nascimento de bebés; pedido de médicos de várias especialidades; separação de casal; desemprego; despejo; além dos “humanos bonzinhos” que mentem dizendo que o animal havia sido recolhido da rua, por eles, naquele exacto momento.
Ao irem embora, muitos dos animais “recolhidos” uivam e entram em depressão até à morte. Animais também são trazidos pelo Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, Policias Civil, Militar e Federal, empresas privadas e até Prefeituras de municípios próximos.

Há de chegar o tempo em que os bichos não mais terão medo dos seres humanos, como aconteceu, recentemente nas Montanhas Foja, na ilha indonésia da Nova Guiné, onde foi descoberto um paraíso escondido, com mais de 700 tipos de plantas e animais.
O local, que se manteve intocado pelos humanos, é o mais próximo do Jardim do Éden que se pode encontrar no planeta. São os sinais do céu na Terra!
--------------
10/3/2006
Vera Ghimel

LauraBM às 15:19
TAGS - TEMAS DO BLOG «clique em cima»:

Vera
entrei no seu blog por acaso,ao tentar descobrir formas de lidar com a morte de minha gata de 11 anos, há 3 dias.
tenho animais desde sempre (41 anos), e sempre que partem é como se fosse a primeira vez.
adoro animais e se pudesse teria uma fazenda onde recolheria animais abandonados.

escrevo de lisboa, portugal
um abraço e bem haja
eva
Eva a 25 de Setembro de 2007 às 16:59

HOMENAGEM AO GATO

Homenagem ao mais belo e versátil animal doméstico

que JAMAIS será domesticado.

O paraíso JAMAIS será paraíso

a não ser que os meus gatos estejam lá, esperando-me.

arquivos
Banners

mais sobre mim
pesquisar neste blog