Amados gatos - todo o mundo os ama - excepto quem tiver um coração insensível ou não os entenda. Eis a minha contribuição e apreço para essas maravilhosas criaturas de Deus. Bem hajam, queridos bichanos!

O melhor sistema para procurar e divulgar animais encontrados em Portugal inteiro.

Consulte a página - http://www.encontra-me.org/


Amados gatos:

Um saudoso ADEUS ao Floco de Neve e à Kika que enfeitaram a minha vida.

Em vossa memória e como última homenagem, este blog continuará a existir.
Receberá as mensagens dos donos magoados e as imagens dos que, como vocês, amados gatos, já partiram em busca do paraíso.

Procurem-nas na tag: 02-adeus, amados gatos

Por favor, contactem-me por

ou através dos comentários neste blog.

Obrigada!

10
Jun 10

Kika_coelhomini.jpgQuantas pessoas se gabam de amar os animais? Tantas que é difícil achar quem diga o contrário.
Aliás, dizer o contrário pareceria tão mal aos outros que o melhor é fingir e dizer sempre que os amam, devido às regras da sociedade onde estamos inseridos.
Outros gabam-se de os amar mas amam beleza, juventude, gracinhas, pedigree, status.
Será isso amor?
Tratam-nos bem enquanto não dão demasiado trabalho, não envelhecem ou adoecem.
Se isso acontecer, preferem descartar-se deles.
Pois se o ser humano se descarta até dos familiares velhos e doentes...

Hoje quero falar-lhes da minha gata, a Kika:

Miou na minha janela da marquise. Pediu comida e carinho.
Adoptei-a ao ver quão maltratada estava.
Tratei do pêlo ralo. Ficou óptimo!
Mandei operar a cauda partida e insensível. Ficou boa.
Mandei operar os intestinos por apresentar graves problemas, apesar dos prognósticos não serem os melhores. Não resultou.
Precisava de clisteres mais ou menos duas vezes por semana porque os movimentos peristálticos não tinham força suficiente para a expulsão das fezes.
Havia semanas em que era só uma vez, das outras ela conseguia sozinha. Aí, fazíamos uma festa, nós e ela!

Depois veio a parte pior e traumatizante:
Sempre que se lhe dava um clister ela ficava danada da vida e eram precisas duas pessoas para a segurar.
Entretanto, com a massagem na barriguinha, sempre escorria algum líquido do clister; ela lava-se logo (lambendo-se), agoniava-se e vomitava.
Então, eu ficava ali de plantão à gata e ao litter dela, para a limpar e evitar que tudo à volta ficasse sujo, pingado e vomitado, incluindo ela própria.
Tinha um spray próprio para gatos, de champô perfumado, toalhas de papel, um saco de plástico, etc.
Umas vezes demorava mais do que outras, mas eu tinha que esperar e ir falando com ela, acarinhando-a, pois o esforço era grande e penalizava-me.
Já pouco comia durante o dia, só queria sol mas, à tardinha, vingava-se e comia muito bem.
Diariamente dava-lhe uma ou duas massagem que ela apreciava.
Na volta recolhia os louros pois ela andava sempre atrás de mim e falava comigo.
Dormia aos pés da minha cama, na sua casinha  de gato, com telhado, cobertores e almofadinha.
Morreu um pouco de mim quando tive que adormecê-la e se ficou nos meus braços.
Jamais deixei só um animal meu, nos seus últimos minutos, mesmo contra a opinião dos veterinários que sabem ser demasiado traumatizante.

Agora eu quero saber quem é que tem amor aos animais:
Sou eu ou quem os exibe e diz que gosta muito deles até à primeira chatice?
-----------------
20/04/2009
Laura B. Martins

LauraBM às 23:38
TAGS - TEMAS DO BLOG «clique em cima»: , ,

10
Jun 08

Kika_bola-1.JPGPois é, a gatinha Kika apareceu vinda pelo telhado, a miar à janela da marquise da cozinha, com muita fome… Todos os dias vinha à mesma hora, esfomeada, comia e voltava pelo mesmo caminho. Quando chegava ao cimo do telhado olhava longamente para mim e, tristemente, ia-se embora.
Dava-lhe da ração dos cães na falta de ração de gato e sempre um pires de leite. Após a morte do gato Floquinho eu tinha oferecido as rações e petiscos para gato que tinha em casa.

Ela estava tão mal tratada, coitada, que fui cuidando dela, escovando, comprando comida própria, uns petisquinhos, etc.

Eu bem sabia que ela tinha dona, logo ao virar da esquina; mas se aquilo era uma dona… eu sou um tigre! Sempre a dizer que a gatinha tinha muita comida e lhe comprava ração boa e eu a saber pela minha empregada que lá viveu num anexo que ela quase nunca dava comida e, quando dava eram os restos do peixe, mais espinhas que outra coisa.
Já a mãe desta gatinha também era muito maltratada e acabou por desaparecer.
Quantas noites a minha empregada a recolheu do frio e chuva pois a dona não queria saber.

A malvada deixava a Kika dormir ao frio, desabrigada, em cima duma cadeira e debaixo dum telheiro que nem paredes laterais tinha.
Um dia, ao passar, perguntei-lhe se a gatinha dormia ali e ela respondeu que sim, que ficava bem e estava muit0o quentinha porque a cadeira tinha um forro. Deus me valha! Que ela não podia estar dentro de casa porque o cãozinho e ela não se davam bem. Agora havia lá um cão que a filha lhe tinha oferecido. Então, a Kika foi posta fora.
Onde é que já se viu tal coisa? Assim, sem mais nem menos, se deixa uma coisinha fofinha como esta ao frio? Esta gente não tem coração! Nem entendo se são maus, insensíveis ou parvos, sei lá!
E ainda julgam que os outros também são!

A Kika acabou por ficar cá em casa e nem quer saber da janela aberta. Até foge dela para eu não a mandar para a outra dona.
Aqui em casa se sente bem e é aqui que quer estar.
Começou a dormitar em cima duma manta, ao pé da janela e adorava apanhar sol ali mesmo.
Vagueia pelo quintal mas nunca salta as vedações. Toma o seu sol, brinca com as lagartixas, folhinhas, formigas, etc. e volta para casa quando o sol se vai ou quando tem fome.
Mia e canta para mim pois o miado dela para me chamar é modulado e comprido, tem entoação.
Sinceramente, estou encantada com esta gatinha.

Não que eu precisasse de mais um animal. Não que eu não saiba da carestia para os tratar bem.
Não que eu não saiba do trabalho, pois nunca consegui conviver com um animal sem lhe dar tudo quanto ele merece. E eles sempre me pagam em carinho e amor.

A dona começou a perguntar por ela e eu disse-lhe que ela estava cá e se ma dava.
Que não, porque gostava muito da gata e já tinha gasto muito dinheiro para a castrar. Há cada uma!
Fiz ouvidos de mercador e nunca mais a mandei de volta. Vacinei-a, e o veterinário aconselhou amputar a cauda quase toda porque estava partida e insensível ao toque. Infelizmente esse mesmo veterinário não viu que os danos eram bem maiores.

Mas há veterinários e veterinários. É assim como os n/médicos: há médicos e sapateiros.

Voltei a falar com a dona dela e disse que ela precisava da cauda amputada porque poderia gangrenar por causa de andar a bater com a cauda em todo o lado.
Resposta: - Não senhora porque a gata fica muito feia sem cauda! Ela ficou assim desde que foi castrada. A veterinária disse que tocaram num nervo, sem querer, mas que não tinha importância nenhuma.
Já viram isto? Então a beleza está primeiro que a saúde? E uma cauda insensível não tem importância?

Esta saga da Kika segue em Janeiro/2009.
----------
5/2008
Laura

LauraBM às 23:46
TAGS - TEMAS DO BLOG «clique em cima»: ,

10
Jun 07

Meu nome é Giana, tenho um filho de 5 anos e crianças que frequentam a minha casa!!!

A nossa gatinha Yoli, de 11 meses,  um bichinho muito querido por nós apareceu morta misteriosamente, sem nenhuma doença aparente no domingo dia 27/11/2005.
Não conformados, levamo-la para realizar uma autópsia numa clínica de patologia especializada. Para nossa surpresa, a patologista nos informou que a hipótese de doença estava totalmente descartada, inclusive as doenças microscópicas, e confirmou que ela havia sido intoxicada por alguma substância letal. Perguntei à ela, se poderia ter sido alguma planta que ela poderia ter ingerido.
A Dra. me informou que existe uma planta ornamental que causa intoxicação em seres vivos, chamasse Oleandro, e possui uma flor, normalmente rosa (pode ser outras cores).
Para minha surpresa, na quinta-feira, dia 24/11/2005, 4 dias antes da morte de nosso bichinho, eu havia comprado na Feira Modelo de minha rua, uma flor com essas características, por R$ 0,60 centavos. Feira essa, fiscalizada e autorizada pela SMIC, Prefeitura Municipal de Porto Alegre.
Sentei no computador e comecei minha pesquisa pelo nome da planta (que realmente era a mesma que eu havia comprado!), e veja o que descobri:

Esta é a foto da aparente florzinha inofensiva:
oleandro-NeriumOleander.jpg*Outros nomes populares : espirradeira, oleandro, flor-de-são-josé , loureiro-rosa e loandro-da-índia, loendro, nério...
*Constituintes Químicos : oleandrina, neriantina
*Contra Indicações : tóxica, uma única folha pode causar envenamento .
*Parte Tóxica: Toda planta, mesmo depois de morta.
*Dose Letal : 0,18 g da planta pode causar a morte de um homem de 80 Kg.
*Sintomas da Intoxicação : dores abdominais, pulsação acelerada, diarreia, vertigem, sonolência, náusea, vómitos, coma e morte. Os sintomas podem ocorrer várias horas após a ingestão

Obs: Cerca de 15-20 g , pode matar um bovino ou um equino. Existem casos registrados de morte de humanos em decorrência de intoxicação.

Por favor, divulguem para o máximo de pessoas possíveis, porque hoje foi nosso bichinho de estimação, amanhã não sabemos quem poderá ser vítima da inofensiva florzinha de R$ 0,60 centavos... E cuidem o que levam para suas casas, as crianças e animais são os principais alvos de acidentes.
-----------------------

Giana Guimarães
21/12/2005
artigo recebido directamente de
Martha Maganha
http://fotolog.terra.com.br/martha_maganha

NOTA:
Não é só esta planta que mata os n/animais ou crianças. A lista ainda é grande.
Vou tentar encontrar os seus nomes e deixá-los aqui no Blog.
Entretanto, lembrem-se de comprar para os gatos de apartamento, que não saem e não têm acesso a plantas que lhes são necessárias na alimentação, uma embalagem de plantas próprias para eles que se encontram à venda nas casas de rações ou nas de venda de animais. Vá substituindo à medida que sequem ou terminem. Eles agradecem e, pelo menos, poderemos evitar que comam ou destruam plantas caseiras.
Os cães, como são trazidos à rua, descobrem-nas por si mesmos.
---------------------
Laura B. Martins

LauraBM às 19:24
TAGS - TEMAS DO BLOG «clique em cima»:

12
Jun 06

Se um gato pudesse escrever, talvez escrevesse uma carta como essa: gato_cabecadelado.gif

Prezado colega bípede,
Para você, humano, que nunca teve contacto com animais como eu, (e que não sabe, portanto, o que é ser gato), quero informar algumas características da minha espécie.

Desde pequenininho soube que a limpeza é uma das minhas marcas registradas.
Minha mãe me lambia dedicadamente até meu pêlo ficar limpinho e macio.
Logo aprendi e passei a me lamber sozinho.
Se nada estiver errado com minha saúde, é assim que você vai me ver todos os dias: limpinho e, ainda assim, me limpando a toda hora.
E para minha saúde estar sempre óptima, me leve logo ao veterinário. Eu preciso de vacinas para não ter doenças, e preciso, quando pequeno, de tratamento para vermes, pulgas ou parasitas. Eu não quero infectar a sua casa.
O doutor também explicará quais cuidados deve ter comigo e qual o melhor alimento para mim.
Ah, sim, não esqueça de deixar sempre à minha disposição água limpa e fresca, para beber.

Por favor, para que não “nos” faça sofrer, me dê uma caixa com granulado sanitário (ou até mesmo areia).
Farei minhas necessidades lá e agradeço a sua atenção em retirar a areia suja sempre que possível. Meu olfacto é muitas vezes mais sensível que o dos cães (que já é muito poderoso) e eu não suporto mau cheiro.
Pensando bem, você também detesta usar um banheiro sujo, não é mesmo?
E detestaria ver que eu usei os seus vasos de plantas (ou outros lugares) para me aliviar, né?
E eu ficaria muito sentido de ver você bravo comigo...

Precisamos confiar plenamente um no outro. Por isso, por favor, não me castigue se eu fizer alguma “arte” com algum objecto seu.
É simples: você não me bate e não me ameaça e eu não arranho nem mordo você...
Se eu fizer algo que você não gosta, fale comigo num tom de voz um pouco mais sério. Diga “não” com pouquinho mais de energia, e eu já aprenderei que aquilo que eu fiz deve ser algo que lhe desagrada.
Sou bem menos explícito, de maneira geral, do que o nosso colega da raça canina. 
Não espere que seu seja submisso como ele. Tenho personalidade forte e agradeço o respeito que você puder me dedicar. A prática disso entre vocês, humanos, produz os melhores resultados. Comigo não é diferente.
Além disso, eu respeito muito a sua personalidade e a sua maneira de ser. Com a convivência, você verá que eu sou muito subtil, quase telepático, no que se refere à nossa comunicação. Quanto estou satisfeito e me sentindo protegido, eu ronrono.
Quanto mais você me observar, mais se acalmará e aumentará sua sensibilidade e intuição.
É uma óptima terapia.

Outra característica minha é a curiosidade. Estou atento a tudo e examino cada coisa nova que aparece na minha frente.
Se você trouxer uma sacola, eu acabarei entrando dentro dela.
Se trouxer uma caixa, acharei delicioso me esconder lá.
Adoro novidades, mistérios e esconderijos! Vivo procurando lugares inusitados para me esconder (e tirar uma boa soneca) ou só para me divertir.

Quando eu vivia com minha mãe e meus irmãos, eu achava que estava no Paraíso. Aliás, estava mesmo!
Quando fui separado deles, fiz um reconhecimento do novo lugar onde passei a viver e fiz dele o meu novo Paraíso. Onde quer que eu esteja, levo junto a consciência de estar num bom lugar.
Esta é minha filosofia de vida: acredito fervorosamente que tudo o que existe faz parte do Paraíso e está aqui para meu prazer. E vivo com sabedoria.

Como o Paraíso sugere bem-estar, felicidade e plenitude, encaro todas as coisas que me rodeiam de uma forma peculiar: tudo, para mim, é presente de Deus e pode ser usufruído com alegria.
Tudo o que existe, para mim, é coisa de brincar. Sou como a mais inocente das criancinhas.
Tudo eu transformo em brinquedo, tudo existe para me fazer feliz.
Nunca me foi dito que existe algum brinquedo proibido no Paraíso. Portanto, se houver alguma coisa na sua casa que você queria que eu não chegue perto, que eu não brinque ou deite nela, por favor, me oriente. Delicadamente. Eu sou muito sensível e inteligente e aprendo bem rapidamente.
Também sou brincalhão e muito sensível aos sentimentos humanos e a tudo que os cerca.

Sou muito feliz por estar vivo e logo você notará esse meu sentimento.
Espero até, de alguma forma, que isso seja contagioso e você assimile esse meu maravilhoso sentimento de ser uma criatura de Deus que vive, feliz, num Paraíso. Mas, o que é melhor: sem nenhum sentimento de pecado, de culpa ou de vergonha.
Espero que sejamos muito felizes juntos.
Um ron-ron agradecido a você, do seu
Gato.
------------------------------
donaminucia@bol.com.br
Brasília-DF

LauraBM às 18:43
TAGS - TEMAS DO BLOG «clique em cima»:

30
Jun 05

ginasticaparagatos-2.jpg

LauraBM às 23:27
TAGS - TEMAS DO BLOG «clique em cima»:

20
Jun 05

gato_bone.jpgInfelizmente, até na própria América se vêm disparates tais como este último do café para gatos, em Nova Iorque, onde podem comer  todas as iguarias que desejem, levados pelos patetas dos donos.

Teremos que tratar primeiro dos humanos para que ganhem juízo, e aprendam duma vez por todas que:


Os animais são animais e nunca quiseram ser outra coisa. Vivem bem na sua condição, desde que os humanos não interfiram nos seus habitates e lhes dizimem as cadeias hierárquicas e alimentares.
Quando na companhia dos humanos, devemos tentar dar-lhes uma vida o mais parecido possível com aquela que disfrutariam na natureza, embora não descuremos o conforto e conselhos dos médicos veterinários.

Devemos também observar o seguinte: após habituação ao usufruto de alimentos fornecidos pelos seus donos, ou tratadores, se abandonados, jamais conseguirão encontrar os alimentos necessários para sobreviverem.
Aceitar, e domesticar, um animal é uma obrigação para todo o tempo que a sua vida durar.

Não engeite responsabilidades! É preferível não as tomar para si!
-------------------------------------------------------------
(notícia retirada dum jornal diário português e vista na TV)
8/2004
Comentário - Laura B. Martins

LauraBM às 14:38
TAGS - TEMAS DO BLOG «clique em cima»:

10
Jun 05

gatinho_comilao.jpgAtenção!
Diante de vários amigos que estão com problemas com seus gatos, gostaria de colocar algo para as pessoas mais chegadas, mas por favor, não sou técnica, é apenas para pensar.
Já não estava gostando da utilização frequente de ração; pois por mais balanceada que seja, é algo industrializado, e sentia como se estivesse dando enlatados aos animais todos os dias.
Já pensou você utilizando apenas enlatado ou comida industrializada todos os dias?
É prático, mas lógico que não é saudável.

Com base nesse pensamento, sempre dei ração de dia, e a noite um peixe para meus gatos.
Ultimamente (o veterinário é homeopata) o veterinário falou que devido à concorrência, as indústrias de alimentos estavam colocando substâncias que causam dependência química, para que os felinos não trocassem de ração.
Há duas semanas resolvi trocar para a comida normal, ou seja, a que eu como todos os dias e a qual esses animais estavam acostumados a comer à gerações, e deu pena; um dos meu gatos reagiu como um dependente químico, vomitou, e teve muitos problemas.
Já está se recuperando, mas vou evitar dar ração para eles novamente.
-----------------
Sônia Catharina
====================================
NOTA: Claro que tudo isto dá que pensar.
CONCLUINDO: eu que sempre tive gatos, digo o seguinte
- A n/alimentação não é adequada para animais (muitas vezes nem para nós mesmos).
- Antigamente usava-se dá-la aos animais por uma questão de conveniência; ficava muito mais económico e nem dava trabalho nenhum.
- Hoje, felizmente, temos a ração seca, óptima para os n/amigos e muito prática; além de muito mais fácil acondicionamento.
- Pessoalmente também a utilizo, embora eu coza uma posta de peixe, diariamente, para dar ao meu bichano, acompanhada da água da cozedura.
Gatos bebem muito pouca água e assim eu fico certa de que ele bebeu pelo menos aquela. Além disso ele gosta muito!
Restos... NUNCA!
(Já viu o bem que fazia à sua saúde se não usasse sal, pimentas, molho inglês, mostardas, coloraus, picantes, gorduras, vinagres de vinho, etc.? Pois!!!
-----------------
19/06/2004
Laura B. Martins

LauraBM às 23:44
TAGS - TEMAS DO BLOG «clique em cima»:

05
Jun 05

gato_cacarpassaro.jpg

LauraBM às 00:25
TAGS - TEMAS DO BLOG «clique em cima»:

10
Jun 04

gato_amar.adeus.gif Você tem gatos?
Já experimentou dar comprimidos a gatos?

Eu já!!!!!!!!!!! Aiiiiiiiiiiiiiiiii! Preste atenção

COMO FAZER UM GATO ENGOLIR UM COMPRIMIDO
Como dica... sobre uma mesa, enrolo o gato numa manta e só deixo a cabeça de fora.

Desajeitadamente, tento abrir-lhe a boca enquanto ele tenta morder-me e mia em sinal de protesto.

Já tenho o comprimido colocado num lançador. (É um aparelho próprio para dar comprimidos a gatos; e que os veterinários gostam muito de vender aos incautos e confiados donos).

Enquanto ponho novo comprimido no lançador, porque não acertei da primeira vez e deve estar em cima do armário, o gato dá um salto, atira-me a manta para a cara e pula também para cima do armário.

Daí a mais ou menos uma hora, quando o gato resolve descer, tento de novo.

Lembro-me de cenas anteriores!...

Ponho de novo o gato enrolado na manta. (À segunda vez é mais difícil porque eles já estão à espera e com gatos só é fácil enquanto é surpresa). Abro-lhe a boca, depois de 10 minutos a massajar-lhe o pescoço para ele se descontrair, (isto resulta sempre), seguro-lhe a cabeça para trás e enfio-lhe dois dedos na boca junto com o comprimido. Com sorte, escorrega pela garganta.

Ele fecha a boca mais rápido do que eu retiro a mão e enfia-me aqueles longos gatinos num dedo; mesmo assim, em desespero de causa, tento que ele não abra a boca antes de engolir e, satisfeita com a proeza, relaxo.

É nesse momento que ele sacode a cabeça e eu observo, consternada, diversos pedaços do comprimido caírem-lhe da boca, meio desfeitos.

Enquanto limpo tudo, o danado passa-se para o quintal por uma greta da porta, mal fechada.

Ainda a terminar de fazer curativo no dedo, telefono à veterinária a perguntar se não tem nada que se possa enfiar pelas orelhas. (Pelo menos elas não têm dentes e já estão abertas, por natureza).

Ai, aiiiiiiiiiiii!
Laura (a desesperada)

LauraBM às 15:39
TAGS - TEMAS DO BLOG «clique em cima»:

03
Jun 04

gato_espreguicar.gifEspreguiçando tal como faço para me dar conta de que tenho de levantar...
Apesar de estar curtindo a fase inicial de minha aposentadoria, nada de ficar rolando na cama debaixo do édredon!

Desejo um bom dia cheio de energias e vibrações positivas para Você porque:
«A verdadeira generosidade para com o futuro, consiste em dar tudo ao presente.»
Albert Camus
-----------
1/06/2004
*Emiele*

LauraBM às 00:09
TAGS - TEMAS DO BLOG «clique em cima»:

HOMENAGEM AO GATO

Homenagem ao mais belo e versátil animal doméstico

que JAMAIS será domesticado.

O paraíso JAMAIS será paraíso

a não ser que os meus gatos estejam lá, esperando-me.

arquivos
Banners

mais sobre mim
pesquisar neste blog